Coordenadores: Víctor Manuel Figueras Zanabria e Orlando Espinosa Santiago

É um trabalho publicado pelo Instituto Eleitoral do Estado do Mé- xico, correspondente à Breve Série sobre Cultura Democrática, publicada em novembro de 2019.

O trabalho descreve o fenômeno da violência no México de- mocrático através de suas várias manifestações, variantes que mostram uma ruptura séria do tecido social que vai além dos efeitos da guerra às drogas, é um fenômeno mais complexo e profundo que mudou a ordem social e revelou a incapacidade dos responsáveis pela segurança de nosso país em servi-lo de maneira eficaz.

O texto analisa como a ordem social no México foi interrompida em quatro obras: “El desempeño de la policía y confianza de la ciudadanía”, em que se destaca que o estudo da satisfação do cidadão com o serviço policial não é novo, mas ainda é uma agenda de estudos em construção. Expressam que é um fenô- meno multifatorial e que os estudos realizados encontraram três grandes grupos determinantes: 1) os referentes às característi- cas das pessoas 2) os que descrevem as ações da polícia e 3) os inerentes às condições do local onde as pessoas moram. A satisfação do cidadão é um termômetro na percepção da ação policial, o estudo fornece elementos para identificar as lacunas entre policiais e cidadãos, a fim de propor ações inteligentes para fechá-las, o objetivo é melhorar a atenção ao problema de segurança no país.

O segundo texto: “Autodefensas y policías comunitarias en Michoacán”. Os autores destacam que 2017 foi o ano mais vio- lento das últimas duas décadas no México, no qual aumentaram homicídios, roubos, ferimentos, crimes patrimoniais, seqüestros e estupros, entre outros. Eles também apontam que, ano após ano, os níveis de paz no México se deterioram e que é um ce- nário de violência que nosso país sofre e a incapacidade das forças de segurança pública de responder e, assim, reduzir a situação.

Em resposta aos crescentes níveis de violência no México nos últimos anos, os cidadãos decidiram usar formas de segurança privada, legais e ilegais. Nas formas ilegais, os chamados gru- pos de autodefesa ou polícia comunitária se materializaram.

No terceiro texto: “La represión política a nivel subnacional en México”, o texto destaca a escassez de estudos sobre o as- sunto, geralmente tratados em nível nacional. Eles analisam a repressão política em nível internacional e subnacional em nos- so país. Sugere-se que a conduta repressiva do Estado mexica- no não tenha sido exaustivamente analisada, especialmente a relacionada a assassinatos políticos.

O quarto capítulo está relacionado a “La violencia experimen- tada por los actores políticos en procesos electorales: una aproximación exploratoria”, aborda a ligação entre violência e eleições é abordada; O objetivo é descrever a violência associa- da aos processos eleitorais e, em particular, explorar a violência sofrida pelos candidatos e pelo pessoal dos órgãos eleitorais, em dois estados, caracterizados por seus altos níveis de violên- cia social e política: Michoacán e Guerrero.

 

Pedro Zamudio

Mexicano, trabalha em questões eleitorais desde 1994, psicólogo edu- cacional com formação, participou das Missões de Observação Eleitoral da OEA (2010 e 2011). Atualmente, é Conselheiro Presidente do Con- selho Geral do Instituto Eleitoral do Estado do México.

Suscríbete a nuestro boletín

Únase a nuestra lista de correo para recibir las últimas noticias y actualizaciones de nuestro equipo.

You have Successfully Subscribed!

Share This